Home.
Quem somos.O que fazemos.Na prática....Que há de novo?.Escritos.Clientes.Contactos & Links.
Back.
Next.
Previous.
Implementação    de Projectos  
de Mudança          Comportamental
Mudança Organizacional é  mudança do comportamento das pessoas que lá trabalham
Uma organização sem pessoas, toda automatizada, não é uma organização, é  apenas uma máquina.
Resistência à mudança
é um conceito inventado
para esconder  a incompetência
em gerir a mudança, em fazer
Re-nascer a organização.
Grupos em Mudança
Não há Organização sem pessoas.

Dizer que “...o Banco não me deu crédito ...”, “... a EDP cortou-me a luz ...”, etc, são frases banais que se ouvem todos os dias. São claras, simples, todos entendem, mas estão erradas.
Na verdade nunca se viu a EDP ir a casa de ninguém cortar, ou ligar, a luz, e muito menos nunca um Banco, Câmara Municipal, ou outros, tomaram quaisquer decisões. Os regulamentos, os equipamentos, os edifícios são “coisas” e, como tal, inertes, logo incapazes de tomar decisões e muito menos agir.

O que acontece é que existem “pessoas” dentro dessas organizações, que lhes dão vida, tomando decisões e realizando acções. Estes actos não são totalmente discricionários pois estão enquadrados pelos condicionantes institucionais que os orientam, controlam e encaminham, condicionantes, esses, por sua vez, criados, também, por pessoas.

Aprofundando esta análise verifica-se que, também não existem “pessoas”, pois este conceito abstracto engloba um conjunto indiferenciado de indivíduos e qualquer decisão/acção tem sempre como seu criador um “indivíduo concreto”, o Manuel, a Maria, o José, a Leonor, etc., que, com o seu comportamento,  concretizam a diferença do que era para o que passa a ser. A frase “...o Banco não me deu crédito ...” significa que, no Banco, um indivíduo concreto “O Manuel” fez o despacho  de “não dar crédito”, e dizer que “... a EDP cortou-me a luz ...” significa que, na EDP, a “Leonor” decidiu cortar a energia para aquela habitação.

Em síntese, o “Banco não me deu crédito” significa: “o Manuel(??) que trabalha no Banco decidiu que não dar o crédito”, eventualmente de acordo (ou não) com orientações-regras existentes, mas este aspecto não altera o fato que foi uma pessoa, e não uma entidade “nominativa” (o Banco), que decidiu.

Em conclusão, uma organização só existe através da multiplicidade das  micro-decisões das pessoas que lá trabalham.

Mudar o funcionamento de uma organização (Mudança organizacional) é, então, mudar as decisões quotidianas que as pessoas tomam. Numa palavra, fazer mudança organizacional é transformar o comportamento das pessoas concretas que lá trabalham.
A Mudança está na ordem do dia...
Esta “novidade” é velha de milhões de anos, pois faz parte da vida desde que ela apareceu:

A evolução do Homem como espécie é expressão da Mudança:
                                                                                          do Australopiteco ao Homo Sapiens.
A evolução da Homem com indivíduo é expressão da mudança:
                                                                                          do bebé ao idoso.
A evolução da Homem com ser social é expressão da mudança:
                                                                                          da pré história à tecnologia.
Duas pessoas juntas fazem uma organização.
Pessoas juntas é a História da civilização.
História da civilização é a
História da Mudança Organizacional.
(pag. 1#3)
Ver Plano-Mapa
1. Apresentação